Retromotoca

Museu Virtual :::::::::: (NENHUM PRODUTO ESTÁ A VENDA)

Hungry Dragon dezembro 20, 2010

Filed under: : Brinquedos : — retromotoca @ 10:51 pm
Tags: ,

Hungry Dragon, Casio CG-116A, 1987. Colaboração de Maura Eduardo, de Campinas, SP: “Aqui a tela do game (ligado): vc tem que ir alimentando o dinossaurinho antes do dragão te pegar. Foi o primeiro deste tipo que meus filhos tiveram”.

Ela também nos passou a dica do link: Casio/HungryDrag

game portátil hungry dragon

game portátil hungry dragon

::

Veja também: gamewatch

 

Atari 2600 (2ª Parte) outubro 27, 2010

Atari 2600. Recebemos esta colaboração de Cesar Augusto Faria. Além dele ter a sorte de possuir um Atari 2600 inteirinho, na caixa, tem também uma ótima lembrança de sua infância e a compartilha aqui conosco. Obrigado, Cesar!

:

“Dezembro de 1983. Só se falava nele na escola: Atari! Sabia da possibilidade de ganhar um naquele Natal, porém meu pai era imprevisível e nunca me dava presentes nas datas comerciais. Ganhava várias coisas, de roupas a brinquedos mas sempre era uma surpresa, nunca estava esperando e isso era o mais legal.

Era um fim de tarde comum do começo do mês de dezembro, meu pai havia chegado na hora de sempre e me pedindo as mesmas coisas! Para variar me pediu que apanhasse algo no porta malas do carro… Fui. E pensava o porque dele não pegar tudo antes de entrar e assim, não me pedir sempre para ir lá. Essa ida ao carro marcou minha vida, ao abrir o porta-malas do Opala Comodoro verde zerinho ele estava lá, o Atari! Esse foi um dia sensacional na minha vida, nem dormi…. só joguei! Esse dia só se compara ao dia em que ganhei minha Caloi Cross Extra Light. Nossa!!! Esse foi outro presente impactante. rsrsrs

Imaginem isso! Ganhar uma bicicleta para andar na rua? Sim, exatamente isso…. andar na rua! Pensem nisso hoje. Tenho um filho de quase dez anos e nem consigo imaginar que ele faça isso. E olhem só, apenas havia um compromisso de voltar antes de escurecer. Parece piada, sair e os pais não saberem exatamente onde estamos, sem celulares… apenas um acordo de horário e pronto! Tomar água em torneira de jardim, ficar sentado na calçada… não sei vocês, mas nos dias de hoje não tenho coragem de deixar meu filho solto desta forma. Anos 80, um tempo inesquecível… muita saudade!”

:

Caixa Atari 2600

Caixa Atari 2600

 

manuais atari 2600

manuais atari 2600

:

Veja também: Atari 2600 (1ª parte)

 

Tanque Thor janeiro 19, 2010

Filed under: : Brinquedos : — retromotoca @ 11:45 pm
Tags: , ,

Tanque Thor. Fabricado pela Estrela sob licença de Tomy Kogyo Co. Reprodução de catálogo do fabricante, década de 70. Colocamos este tanque a pedido do leitor Evandro, que se lembrou dele ao ver o post do Titã. Aparentemente o mesmo molde foi usado para fabricar a metade inferior de ambos os brinquedos…

tanque thor

tanque thor

 

Atari 2600 janeiro 15, 2010

A Atari (palavra retirada do jogo japonês Go, equivalente a xeque, do xadrez) foi fundada pelo engenheiro elétrico Nolan Bushnell. Em 1972, Nolan lançou o arcade Pong (na onda do ping-pong da Odyssey) que, sendo grande sucesso de vendas, o encorajou a lançar, dois anos depois, uma versão caseira deste jogo, o Home Pong.
Nolan vendeu o controle da empresa em 1976 para a Warner, ficando com o cargo de presidente. Depois de um ano de trabalho e muitos milhões de dólares, sai o Atari VCS (Video Computer System), primeiro console caseiro com jogos bem feitos e gráficos coloridos.
Brasil, 1983. Em maio é lançado timidamente o primeiro clone do Atari nacional, Dactari, pela Sayfi. No mesmo mês, o Odyssey, fabricado pela Philips, entrou no país em grande estilo. Em agosto do mesmo ano, outro clone: o Dynavision, da Dynacom.
Mas o console mais esperado (o original), chegou no final desse mesmo mês. Lançado no Brasil pela Polyvox/Gradiente, o Atari 2600 Vídeo Computer System veio com grande campanha publicitária e tornou-se uma febre. O comercial dizia: “Um inimigo está chegando. E vai invadir sua casa”.

Atari 2600

Atari 2600 detalhe

Com o console em casa, o público queria mais e mais cartuchos de jogos. Mas enquanto aqui havia poucos jogos nas lojas, nos EUA eram centenas. Aproveitando-se disso, empresas brasileiras copiavam jogos gringos e lançavam aqui, em um tipo de pirataria oficial com o aval da legislação da época. Em 1984 contavam-se mais de 20 empresas lançando cartuchos compatíveis com o Atari, alguns deles com 2 jogos ou mais, selecionáveis por meio de chaves.
Outras empresas que lançaram seus consoles após a Atari: a CCE com o Supergame e a Dismac com seu VJ 9000.

Cartuchos PacMan e E.T.

Essa era a cara dos cartuchos oficiais da Polyvox. Até onde sabemos, o jogo E.T. nem chegou a ser lançado oficialmente aqui, já que o extraterrestre se tornou símbolo do maior fracasso da história da Atari: em 1982, portanto antes mesmo da chegada do console no Brasil, a empresa decidiu apostar alto numa versão game do sucesso de Steven Spielberg, já que vinha perdendo cada vez mais espaço para os novos consoles que surgiam, como Intellivision e Colecovision. O problema é que o jogo revelou-se uma terrível frustração, praticamente incompreensível. Somando-se ao fato de que àquela época os preços dos cartuchos haviam caído vertiginosamente devido à profusão de títulos e desenvolvedores, a Atari decidiu que valia mais a pena enterrar os 5 milhões de cartuchos de E.T. que encalharam no meio do deserto do Novo México.

Cartuchos compatíveis

outros cartuchos compatíveis

Portanto, enquanto o mercado de games estava apenas começando por terras tupiniquins, a Atari já ia mal das pernas nos EUA. Com a excessiva concorrência de outros consoles e a entrada dos jogos de computador no mercado, os lucros caíram e a marca foi vendida pela Warner para um investidor americano, que encerrou a fabricação dos games em 1984.
O renascimento dos games viria do Japão: em Outubro de 1985 a Nintendo lançava o NES (Nintendo Entertainment System) nos EUA, alcançando grande sucesso de vendas e inaugurando uma nova geração de videogames. Carinhosamente apelidade de Nintendinho, o NES chegou ao Brasil em 1988 também sob a forma de um clone, o Phantom System, da Gradiente. No ano seguinte foi a vez da maior concorrente da Nintendo, a Sega, lançar seu Master System no Brasil através da Tec Toy.

::

Lembranças:
• Jogar Decathlon e quebrar o joystick ao fazer o sprint da corrida de 1.500 m;
• Cartuchos de 8 quilobytes de memória eram chamados de “série ouro” por aqui. Os de 4 e 2 K, “série prata”.
• A Dismac traduziu alguns nomes de jogos. Pitfall virou Pantanal e Freeway, BR-101. Céus…

Fonte: Revista Flashback nº6, Ed. Abril, setembro de 2005.

::

Para saber mais:

pt.wikipedia.org/wiki/Atari

www.atari.com.br/historia/index.html

Para jogar:

ataritimes.com/jstella

stella.sourceforge.net/downloads

Para comprar:

www.amazon.com

::

No final dos anos 90, a dupla de música eletrônica Projecto Golden Shower, composta por Carlos Bêla e Roger Marmo, homenageou a era Atari através de uma música, Video Computer System, produzida exclusivamente com efeitos sonoros retirados de jogos do console. Em 2000 a música ganhou um videoclipe, produzido pela produtora Lobo, que ganhou o troféu de melhor videoclipe de música eletrônica no Video Music Brasil da MTV, naquele mesmo ano.

 

Ferrovia setembro 15, 2009

Filed under: : Brinquedos : — retromotoca @ 12:12 am
Tags: , ,

Ferrovia. Fabricado pela Estrela sob licença da Tomy Kogyo Co. Reprodução de catálogo do fabricante, década de 70. A locomotiva, movida a uma pilha média, levava os vagões carregados de pedrinhas brilhantes pela pequena ferrovia, descarregando-as no topo da torre. Parecia um mini ferrorama voltado às crianças menores.

Ferrovia Estrela 1

Ferrovia Estrela 1

Ferrovia Estrela 2

Ferrovia Estrela 2

Ferrovia Estrela 3

Ferrovia Estrela 3

 

Meu Primeiro Gradiente agosto 29, 2009

Meu Primeiro Gradiente, 1989. Era um toca-fitas, gravador e karaokê. Acompanhava uma fita cassete com músicas infantis e instrumentais para a criançada acompanhar cantando no microfone. Design diferenciado, tanto pela cor quanto pela forma mais orgânica.
É possível ver o comercial no Youtube.

Meu Primeiro Gradiente

Meu Primeiro Gradiente

 

Telejogo abril 9, 2009

Telejogo. Philco-Ford. O Telejogo foi o primeiro console brasileiro. Lançado em 1977, vinha com apenas três jogos instalados: Futebol, Tênis e Paredão. Graficamente, os elementos pareciam ter saído de um pôster modernista: retângulos representavam os jogadores (que só se moviam para cima ou para baixo, através de botões giratórios) e até a bola era quadrada. Mas a novidade era tanta que virou febre, para quem podia pagar, é claro.
O Telejogo 2 foi lançado dois anos depois contendo joysticks e 10 jogos.
As imagens foram reproduzidas da Revista FlashBack, nº1, Ed. Abril. A seguir, trecho da reportagem sobre a criação do jogo:

“Com apenas 8 bits, o Telejogo foi um produto 100% brasileiro, conforme revela Cristóvão Remédios, engenheiro da Philco que trabalhou no lançamento do aparelho. ‘Ele surgiu depois que um fornecedor de rádios apareceu com circuito integrado que era a base para um game’, lembra Remédios. Era o circuito do Pong (o Paredão), o primeiro videogame americano. ‘Mas apenas a base do circuito era igual. Todo o resto fizemos aqui.”

Console Telejogo

Console Telejogo

Caixa Telejogo

Caixa Telejogo